Páginas

sexta-feira, 24 de abril de 2015

but if you try sometimes, you just might find you get what you need

eu já não escrevo pra ele. 

eu escrevia pra mim, depois pra ele, depois não escrevia por causa dele, depois por causa de mim. 

hoje eu escrevo por mim. pra mim.

o tempo todo eu traço um paralelo entre a vida que teria sido, que estaria sendo, e a vida que é, de fato. demorou quase cinco meses.

o plano b me trouxe de volta para o quadro em branco, podendo escolher qualquer coisa. eu escolhi um trabalho novo, recomeçar do zero. o plano b me trouxe um reencontro com a minha imagem refletida no espelho. voltaram os batons coloridos e os shorts com meia calça. o plano b me trouxe paris e novos planos de novas viagens. eu preenchi os espaços da casa vazia e já ocupo a cama inteira de novo. voltaram os amigos e os bares, a casa cheia de queridos, o tapete manchado e eu nem me importando.

eu já tenho a minha resposta. 

leva entre quatro e cinco meses pra esquecer até o maior amor do mundo. a gente supera. preenche os espaços. o plano b pode não ter sido escolhido, mas pode surpreender. pode até trazer o frio na barriga de volta. trouxe um moço divertido que tem óculos com aros grossos e dirige uma motocicleta, vejam só. o plano b trouxe de volta as primeiras vezes. os primeiros beijos. as poucas horas de sono e a ressaca feliz do dia seguinte. 

eu queria poder dizer pra mim mesma, há cinco meses atrás, que a vida se acerta. que nem sempre a gente escolhe. mas que até nisso a gente se encontra. e sim, fica tudo bem.

4 comentários:

  1. que bom que tá tudo bem, garota.

    ResponderExcluir
  2. e pra quem acompanhou tudo aqui de longe, quietinha, esprando por um texto novo, esse não poderia ser mais bonito.

    seja feliz nesse plano B, que você continue encontrando o diferente :)

    ResponderExcluir